Breaking News

CRUZ DAS ALMAS: SERVIDORAS SÃO INVESTIGADAS POR SUPOSTOS DESVIOS DE VACINA CONTRA COVID-19

por Mauricio Leiro

Cruz das Almas: Servidoras são investigadas por supostos desvios de vacina contra Covid-19
Foto: Reprodução / Sesab

A fila de vacinação contra a Covid-19 na cidade de Cruz das Almas pode ter sido "furada". Foi constituída na cidade uma  comissão para conduzir um processo administrativo disciplinar contra duas servidoras por aplicar a vacina em pessoa desconhecida e que não faz parte do Plano Municipal de vacinação.

 

As servidoras Vera Lúcia dos Santos Boaventura Assis e Thaylanna Yanara da Silva Santos constam na portaria 01, de 2021, assinada nesta terça-feira (26), pelo prefeito da cidade Ednaldo Ribeiro (Republicanos) e pelo secretário de saúde do município, Sandro Brito Borges.

 

A investigação vai apurar a conduta das servidoras, que segundo o documento, o desvio de vacina contra Covid-19, teria sido feito em conjunto por Vera e Thaylanna, que atua como funcionária do “Lar dos Idosos”. 

 

A cidade de Cruz das Almas é um dos municípios baianos que mais tem casos ativos na Bahia. Está em 7º lugar, com 153 casos do novo coronavírus.

 

SERVIDORA SE DEFENDE

A servidora Vera Lúcia dos Santos Boaventura Assis utilizou as redes sociais para negar o fato e disse que tomou com "surpresa" a "falsa alegação de aplicação de vacina em pessoas que não fazem parte da preferência".

 

"Deixo meus amigos e irmãos que me conhecem tranquilos. Estou com minha consciência tranquila e em paz! Uma mentira criada para me prejudicar. A verdade será mostrada. Deus é justo e fará justiça em breve. Aqueles que fizeram exposição com meu nome nesse processo administrativo prestarão contas a Deus e a justiça", disse.

 

Lúcia diz também que tem 28 anos de serviço público. "Com vida dedicada e honrada, com honestidade e amor pelo que faço. Postei as fotos aplicando as vacinas com satisfação e agora sendo acusada de praticar ilegalidade. Apliquei a vacina de acordo com as pessoas indicadas pelo superior".

 

Segundo a servidora, o fato seria "perseguição". "Fui candidata à vereadora pelo PT, obtive 304 votos e agora me tornam alvo  de perseguição. Volto a repetir, meus amigos, irmãos e familiares fiquem tranquilos, pois quem plantou essa calúnia contra a minha pessoa prestará contas a Deus e a justiça. Em breve ficará provada minha inocência. Quero ver se vão publicar portaria me pedindo desculpas!!! Obrigada", finaliza.

Nenhum comentário